domingo, 8 de maio de 2011

A vocês

 
No começo, tudo parecia só um jogo. Isso pode até parecer frase de um roteiro de novela ou de livro, em que uma certa pessoa acha que está manipulando a todos e quando vê se apegou a suas "vítimas", mas na verdade não é. Estou falando de um jogo mesmo, dos que se joga em rede através de um computador, e das pessoas reais que se encontram por trás dessas máquinas.

É incrível como pessoas tão diferentes conseguem muitas vezes se conhecer melhor do que familiares ou pessoas mais próximas, mesmo não vendo nada além de um avatar de jogo. Não sei como isso acontece nem porque, o fato é que muitas vezes, as pessoas criam laços naquele mundo fictício que acabam se estendendo pelos liames da vida real.

Já cansei de fazer viagens e marcar encontros com pessoas que nunca vi na vida. No meio desse mundo agressivo e violento em que vivemos hoje, em que pessoas se fingem de boazinhas pra enganar, tirar vantagem, agredir ou até mesmo matar os outros, é quase um milagre que eu tenha tantos amigos - e amigos fiéis, quase tão bons quanto os da chamada "vida real". Digo quase não porque eles sejam inferiores, de maneira alguma. Mas não dá pra negar que você nunca vai ganhar um abraço daquele amigo que mora do outro lado do país... Pelo menos não enquanto estiverem conversando em rede.

 Não é simplesmente jogar com elas. Eu as conheço, e bem; sei onde moram, o que fazem, o que não gostam, porque são assim. Podemos nunca nos ter visto, e isso acontece com certa freqüência, mas ainda assim nossos laços são fortes como se fossem uma família.

E eu não sou a única a passar por isso. A tia que me hospedou em sua casa de muito bom grado pra que eu pudesse estudar, na realidade não é uma tia de sangue; mas de novo, os laços de amizades dela com a minha mãe, e meus com meu primo e vice-versa, fazem com que essa seja a nossa realidade, e não há quem diga que não.

O motivo desse post é algo que pra quem lê pode ser um pouco estranho, mas eu hoje consegui desabafar com um amigo virtual algo que eu nunca teria coragem pra falar com outra pessoa, e que pra falar a verdade eu não pretendia contar a ninguém. E não quero entrar muito em detalhes, mas a conversa foi tão franca e espontânea que a coisa simplesmente saiu.

Muitas vezes pensamos que por serem amigos virtuais, as pessoas nos esquecerão se passarmos muito tempo longe do computador, e essa não é a primeira vez que percebo que isso não poderia ser mais inverídico. E que, assim como não nos esquecemos das pessoas que fazem a diferença em nossa vida, elas também não esquecerão de nós, não importa quanto tempo passe.

Aos eternos colegas de Chama Prateada, Milícia de Morroc, Guarda Continental, Letcher's Realm, Unity e tantos outros que eu não teria como citar: essas mensagem é destinada a vocês.

Fiquem bem.

2 comentários:

The Maid disse...

Muito obrigado Mona! =)
Fique bem também!
Ah, Fabiano aqui, lol! xD Esse avatar tá muito gay!
xD

Lgmitraud disse...

Puxa,
foi profundo, apesar de superficial...
acho q teu post foi assim, um verdadeiro paradoxo...desculpa por nunca ter postado, a verdade é que só descobri ele hj...e pode deixar q vou sempre visitar, especialmente se vc falar q tem post novo

=3

"Há amigos mais chegados que irmãos" é o que dizem por ai...

bjs!

www.musicaintuitiva.blogspot.com

Postar um comentário

 

Role-plays e Afins © 2008. Chaotic Soul :: Converted by Randomness